Mochilando na Europa

COVID-19: Irlanda Extende Lockdown Level 5 e Anuncia Novas Restrições

RTE Player - Taoiseach 26-01-2021.png

RTE Player - Taoiseach 26-01-2021.png

tínhamos comentado recentemente que o Governo Irlandês demonstrou intenção de continuar com o Lockdown, nesta terça-feira dia 26 o Taoiseach confirmou que a Irlanda mantém o Lockdown até pelo menos março e anunciou banimentos a viajantes sem visto vindos do Brasil e África do Sul.

Lockdown Level 5 se mantém no País

Apesar da mídia ter comentado que o Lockdown poderia durar até seis meses este ano, hoje o Governo Irlandês confirmou que o Lockdown Level 5 irá perdurar no país até pelo menos 5 de março.

Garda Check points

A Garda irá aumentar a quantidade de check points distribuídos pela cidade para controlar a distâncias daqueles que estão “quebrando” as restrições e não se mantendo em casa, além disso multas já foram autorizadas a serem aplicadas pelos oficiais.

Banimentos de viajantes sem vistos vindos do Brasil e África do Sul

Ainda conforme o Primeiro Ministro Micheál Martin na coletiva de imprensa de hoje dia 26 de janeiro:

“Todas as viagens de curto prazo sem visto da África do Sul e toda a América do Sul estão suspensas até 5 de março”

Taoiseach Micheál Martin na coletiva de impresa dia 26/01/2021

Ou seja as viagens de visitantes( Ou qualquer cidadão que já não tenha um visto válido em mãos como uma permissão de residência, visto de trabalho e afins) estão banidas até pelo menos março. O Primeiro Ministro também informa que quem chegar aqui sem um teste PCR negativo emitido em até 72 horas antes da partida conforme exigido anteriormente, terá que entrar em quarentena obrigatória e também pode enfrentar uma multa de até €2500 e ou seis meses de prisão.

Quarentena obrigatória a quem vier do Brasil e África do Sul

Por causa da variante brasileira e Sul Africana, os passageiros não europeus vindos destes lugares serão obrigados por lei a realizar uma quarentena total de 14 dias em um hotel pré determinado. A aplicação dessas medidas a passageiros que não são cidadãos da UE poderá ser introduzida como uma emenda na legislação existente.

O Governo ainda frisa que o custo da quarentena obrigatória no local estipulado deverá ser arcada pelo viajante, porém até o momento não foi publicado como será o procedimento de chegada e ida ao local de isolamento total:

Compartilhe:
Sair da versão mobile